quinta-feira, 14 de março de 2019

Caso Milagres: Reféns foram mortos por tiro de fuzil e investigação mira em militares, diz jornal


Novas relevações são divulgadas sobre Caso Milagres-CE. Reféns vítimas em tentativa de assalto em Milagres, na região do Cariri, foram mortas a tiros de fuzis, segundo revelou informação balística da Perícia Forense. 

Cruzamento de informações atestam, ainda, que os suspeitos da tentativa de assalto ao banco não portavam armamento tipo fuzil, o que a investigação a crer que os tiros que vitimaram reféns partiram da Polícia presente. 

A informação é do jornalista Melquíades Júnior, do Sistema Verdes Mares.

TRAGÉDIA E DESASTRE 

Conforme nota divulgada pela SSPDS, um grupo fortemente armado chegou à cidade às 2h da madrugada desta sexta-feira, 7, e seguiu para o centro, onde tentaram assaltar duas agências bancárias.

 Houve confronto entre suspeitos e policiais de equipes do Grupo de Ações Táticas Especial (Gate), do Comando Tático Rural (Cotar), da Força Tática (FT) e do Batalhão de Divisas – da PMCE – e da delegacia de Brejo Santo. 

Antes, haviam utilizaram um caminhão para bloquear a Rodovia BR-116 e interceptado um carro de passeio.

Neste momento teriam feito a família Magalhães e a família Santos, que voltada do Aeroporto em Juazeiro, de refém e "escudo humano". 

Os reféns foram tomados de sequestro na BR 116, entre Milagres e Brejo Santo, voltando do aeroporto de Juazeiro do Norte. Num dos relatos mais fortes, já na cena do tiroteio, a família de Serra Talhada (PE) é vista de mãos dadas ao lado do Bradesco, como escudo humano, enquanto dois suspeitos escondiam-se atrás. Os adolescentes da família estão entre os primeiros alvejados, com tiros de fuzil na cabeça. 

Claudineide, que vinha de São Paulo com o esposo e um dos lhos, grita em desespero, e em outra sequência de tiros toda a família é abatida. Genário Laurentino e Fernandes Rodrigues, pai e lho de Brejo Santo que também eram reféns deitaram-se no chão e, sendo alvos, conseguiram escapar. Edneide, lha de Fernandes que tinha acabado de chegar de São Paulo, é morta com um tiro na cabeça dentro do Celta, ao lado da mãe, Maria Lurilda. Da família pernambucana, João Batista e Vinícius Magalhães buscaram Claudineide, Gustavo e Cícero, que também chegavam de São Paulo para passar o Natal com os parentes. 

VÍTIMAS REFÉNS

João Batista Magalhães, 49, empresário e pai de Vinícius Magalhães, 14, também falecido durante conflito. Foram mortos ainda Cícero Tenório dos Santos, 60, cunhado de João Batista, o sobrinho Gustavo Tenório dos Santos, 13, Claudinei Campos dos Santos, 42, e Francisca Edneide da Cruz Santos, 49.

Fonte:Miséria 

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

Rádio Patativa FM 105,9

Curta Nossa Página no Facebook

VMC CAR

Max Gel

Afagu

Ópcas Afagu

Burger KING

Samuel Rulin

Metal Serra Construtora

Odonto Clinica

Karirí da Sorte Cap

Casa dos Aposentados

Madral Madeira e Material de Construções

Laboratório Oswaldo Cruz

Dr. Wagner Maia Crm-Ce

Loja Barateira

Rejuntamix 100% de Qualidade

Seguro Previdência Créditos

Caixa Aqui Data Contábel

LPC NET

Total de visualizações do Site

Arquivos do Site