Clique na Imagem e Ouça a Patativa FM 105,9 Ao Vivo

Pages

quinta-feira, 9 de maio de 2019

ICMS: mais de 70% dos produtores rurais não aderiram ao recadastramento na Enel

O produtor rural que não fizer o recadastramento em unidades de atendimento da Enel, concessionária de energia elétrica do Ceará, até o próximo dia 31, terá um impacto significativo na sua conta de luz. Pode chegar a 60% de aumento em relação aos valores atuais. Entidades do setor agropecuário mostram que, em muitos casos, poderá ocorrer a inviabilidade da atividade no campo.
A falta de adesão dos produtores preocupa as entidades rurais. Até o fim de abril passado somente 27% tinham feito o recadastramento. O fruticultor Francisco Gomes, da localidade de Cardoso, de Iguatu, é um dos que ainda não fez o recadastramento. Quando soube que a conta de luz poderia ter um novo valor, com até 60% de incremento, ficou preocupado. "Não sabia que o aumento era tanto assim, mas já que houve a prorrogação, vou fazer logo", diz.
Gomes é irrigante, produtor de banana, e tem uma conta de energia mensal cujo valor médio é de R$ 800,00. "A gente já paga com dificuldade e com esse aumento não compensaria mais produzir", afirma. Os agricultores e pescadores têm isenção de cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na conta de luz, além do valor de tarifa rural ser reduzida em relação ao consumidor urbano.
No distrito de José de Alencar, o produtor rural Luís Lopes, tem criação de bovinos e plantio irrigado de capim e sorgo forrageiro. A conta de luz mensal é em média R$ 600. "No inverno o custo é menor porque a gente irriga pouco, mas no verão o consumo de energia aumenta", explica. Luís é um dos poucos agricultores que já fez o recadastramento junto à Enel.
Impacto
Para o diretor da Federação da Agricultura do Estado do Ceará (Faec) e presidente do Sindicato Rural de Quixeramobim, no Sertão Central, Cirilo Vidal, o não recadastramento traz um impacto significativo para os agricultores. "Se muitos já pagam com dificuldades, imagine dobrando o valor da conta", pontua. "Além de perderem isenção do ICMS, terão cobrança de tarifa urbana", alerta.
De acordo com o secretário do Desenvolvimento Agrário, Assis Diniz, o "esforço é para evitar que os produtores rurais e os agricultores de base familiar sofram impacto na conta da energia elétrica".
Para Cirilo Vidal, a atividade agropecuária dos pequenos produtores vai se tornar inviável. E alerta para a necessidade de seguir a recomendação. "É fácil fazer o recadastramento, basta apresentar uma declaração do sindicato e documentos pessoais", avisa. "Não podemos perder esse prazo que já foi adiado uma vez".
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Iguatu, Evanilson Saraiva, lembra que vários agricultores do distrito de José de Alencar, na zona rural de Iguatu, ainda não fizeram o recadastramento porque não receberam o comunicado da Enel. "Há pouca divulgação", frisa. "Muitos produtores e pescadores ainda não sabem desse recadastramento, não receberam o formulário", reforça.
O problema reside justamente na falta de informação. Com o período de chuva chegando ao fim, muitos produtores rurais passarão a utilizar água com maior frequência, o que resulta na elevação da conta de energia. A equação, portanto, é simples. Conta mais cara e margem de lucro pequena resultam em fim da produção. "Não compensa. Para quem não fizer o cadastramento, a conta subirá e muitos terão que encerrar suas atividades", alerta o produtor Hélio Goes, que atua em Quixadá, no Sertão Central.
Desinformação
Somente após a prorrogação do prazo, a informação do recadastramento do produtor rural começa a se espalhar na zona rural. "Fiz, na semana passada, porque um vizinho me falou", conta o aposentado Júlio da Silva, da localidade de Penha, na zona rural de Iguatu.

A produtora rural, Maria Isa de Carvalho, também integra o pequeno grupo daqueles que já fizeram o recadastramento. Ela produz banana com o marido e um filho e paga mensalmente cerca de R$ 500. "Fiz logo, pois sabia que, sem o desconto, não tínhamos como nos manter".
Baixa adesão

O Governo do Estado informa que dos 550 mil clientes da classe rural que a empresa possui, apenas 27% se recadastraram até o último dia 30 de abril. Inicialmente, o cadastro deveria ter sido feito até o fim do mês passado, mas por causa da baixa adesão, foi prorrogado até o próximo dia 31.
Fonte DN





Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

Notícias em Aúdio

Gonverno do Estado

Clique acima e confira ou se preferir clique AQUI

Mob Telecom

Mob Telecom O dom de conectar: 0800-020-9000

Curta Nossa Página no Facebook

Distribuidora Roque

Nova Assaré Loteamento

Inove Eventos

Produtos Nativus

Afagu

Ópcas Afagu

Burger KING

Samuel Rulin

Odonto Clinica

Karirí da Sorte Cap

Loja Barateira

Seguro Previdência Créditos

Caixa Aqui Data Contábel

LPC NET

Total de visualizações do Site