Clique na Imagem e Ouça a Patativa FM 105,9 Ao Vivo

Pages

terça-feira, 6 de agosto de 2019

Entidades iniciam força-tarefa contra lei de abuso de autoridade

Representantes de entidades jurídicas no País ensaiam um movimento nacional contra o texto que deve ser votado na Câmara dos Deputados sobre abuso de autoridade. Na avaliação do Ministério Público Federal (MPF) e da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), o projeto, que tramita no Congresso, abre possibilidade para perseguição do trabalho de juízes e procuradores.
O movimento chegou ao Ceará. A Associação Cearense de Magistrados (ACM) e a Associação Cearense do Ministério Público (ACMP) afirmam ter iniciado um corpo a corpo com os deputados federais com o objetivo de "sensibilizar" os representantes do Estado no Legislativo a ponto de evitar que o tema entre na pauta ou que haja mudanças no texto que deixou o Senado e voltou à Câmara.
Presidente da ACM, o juiz Ricardo Alexandre Costa diz que o projeto que altera a atual legislação foi inserido em uma iniciativa popular que deveria endurecer a pena para corruptos, mas que foi "deturpada" para "intimidar os agentes públicos". De acordo com o magistrado, não há necessidade de outra lei, já que a Constituição atual prevê punição para irregularidades tratadas no projeto.
"A ideia inicial era endurecer a punição para corruptos, mas na verdade acabou trazendo punição a quem combate a corrupção. Um retrocesso, indo na contramão daquilo que foi pensado", alega, por sua vez, o presidente da ACMP, o promotor de Justiça Aureliano Rebouças Júnior.
A crítica tenta resgatar o projeto "Dez Medidas Contra a Corrupção", de iniciativa popular, coordenada pelo MPF, que visava combater a "corrupção e a impunidade". O texto, depois que chegou à Câmara, recebeu ajustes de deputados federais e ganhou capítulo que prevê regras mais duras para irregularidades de procuradores e juízes. O material, aprovado na Câmara, foi ao Senado. Lá, também recebeu modificações e retornou à Câmara - como prevê a Constituição.
Aureliano explica que o novo documento coloca em risco a liberdade dos agentes públicos no trabalho de combate à corrupção, como numa investigação como a Operação Lava Jato. O promotor exemplifica episódios como "declarações à imprensa" ou "acusações de motivação política" como "expressões abertas que abrem margem a perseguições" de investigadores.
Apoio
As entidades locais afirmam que têm buscado interlocução com parlamentares da bancada cearense para dialogar e conseguir apoio às demandas para as categorias. "Na prática, a gente vai a Brasília semana sim, semana não. Temos pautas que estão hoje na crista, como a reforma da Previdência e a lei de abuso de autoridade. Os parlamentares compreendem os argumentos, prometem que vão refletir melhor", diz o presidente da ACM, Ricardo Alexandre.
Aureliano Rebouças afirma que "os parlamentares têm sido muito receptivos quanto às argumentações". Um dos pontos levados aos parlamentares é o momento em que o tema foi votado no Senado, em meio ao escândalo das gravações vazadas pelo site The Intercept atribuídas ao ex-juiz Sergio Moro e ao coordenador da força-tarefa da Lava Jato, procurador Deltan Dallagnol. "Os parlamentares têm sido muito sensíveis inclusive no contexto, da forma como foi inserida", disse o promotor.
Legislação
Lei de dezembro de 1965 prevê irregularidades de agentes públicos como procuradores e juízes. Legislação vigente considera abuso de autoridade qualquer atentado que atinja liberdade de locomoção, inviolabilidade do domicílio, sigilo da correspondência, liberdade de consciência e de crença, livre exercício do culto religioso, liberdade de associação, direitos e garantias legais assegurados ao exercício do voto, entre outros.
A norma prevê como sanção advertência, repreensão, suspensão do cargo, função ou posto por prazo de cinco a cento e oitenta dias, com perda de vencimentos e vantagens, destituição de função e demissão. Há também a previsão do pagamento de multa.
Assunto não é pauta na bancada cearense
A agenda que se desenha nacionalmente e que ganha força no Ceará entre as associações de representantes de procuradores e magistrados ainda não chegou a todos os deputados do Estado.
Quatro parlamentares consultados pelo Diário do Nordeste alegaram ainda não estar discutindo o assunto.
Capitão Wagner (Pros) acha que não há "clima" para a apreciação da matéria no momento, já que há outras pautas de maior prioridade na fila, como a própria reforma da Previdência.
Os deputados André Figueiredo (PDT) e Aníbal Gomes (DEM) dizem que o assunto não é pauta entre eles. "Não conversamos sobre esse tema", disse Aníbal. "Ainda não tem previsão certa", diz André sobre a previsão de votação.
Coordenador da bancada do Ceará em Brasília, que inclui os 22 deputados federais e os três senadores, o deputado federal Domingos Neto (PSD) disse que o tema não entrou na pauta do grupo. "Não tratamos isso na bancada", afirmou ao ser questionado se o projeto estava sendo discutido pelos representantes cearenses no Congresso Nacional.
Nenhum dos parlamentares consultados pela reportagem disse ter sido procurado pela Associação Cearense dos Magistrados (ACM) e a Associação Cearense do Ministério Público (ACMP) para debater o projeto que tramita na Câmara.
Mesmo sem ser a prioridade entre os cearenses no retorno dos trabalhos do segundo semestre após o recesso, o tema pode ser colocado na pauta em poucas semanas.
O Diário do Nordeste apurou que há um movimento de lideranças nos bastidores para votar a matéria ainda neste ano. A possibilidade é que o projeto entre na pauta em setembro.
Fonte DN



Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

Gonverno do Estado

Clique acima e confira ou se preferir clique AQUI

Tv Patativa do Assaré

Mob Telecom

Mob Telecom O dom de conectar: 0800-020-9000

Curta Nossa Página no Facebook

O Barateiro da Cidade

Distribuidora Roque

Nova Assaré Loteamento

Farmácia Menor Preço

Vivo em qualquer lugar use vivo

Inove Eventos

Produtos Nativus

Afagu

Ópcas Afagu

Burger KING

Samuel Rulin

Odonto Clinica

Karirí da Sorte Cap

Loja Barateira

Rejuntamix 100% de Qualidade

Seguro Previdência Créditos

Caixa Aqui Data Contábel

LPC NET

Total de visualizações do Site