quinta-feira, 20 de dezembro de 2018

Diplomação de eleitos não escapa ao clima de polarização política


A diplomação dos candidatos eleitos na disputa de outubro deste ano expôs o tom de acirramento político vivido recentemente no País, e como ele ainda não se encerrou dentro da política. Houve provocações entre petistas e apoiadores de Jair Bolsonaro. A deputada federal reeleita Luizianne Lins (PT) foi a primeira a levar, no momento da diplomação, faixa pedindo da libertação do ex-presidente Lula (PT), que cumpre mais de 12 anos de prisão por corrupção. Na sequência, outros nomes do PT repetiram o manifesto, que rendeu manifestações favoráveis e contrárias à figura do ex-presidente. “O Lula está preso, babaca”, respondia parte do público que acompanhou os parlamentares eleitos do PSL.
Do outro lado, o deputado federal eleito do PSL, Heitor Freire, recebeu o diploma levando ao palco o livro “A Verdade Sufocada”, de autoria do coronel reformado do Exército Alberto Brilhante Ustra, primeiro condenado por tortura durante o regime militar e exaltado frequentemente pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). André Fernandes, deputado estadual eleito pelo PSL, disse, ao receber o diploma: “lugar de bandido é na cadeia”, em referência a ao ex-presidente Lula.
O clima de embate político acabou mudando o tom antes burocrático da cerimônia organizada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Ceará (TRE-CE).
Os episódios renderam vaias e aplausos dos dois lados durante o evento, realizado na noite de ontem no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza.

Grupos organizados nos diversos espaços do Centro de Eventos responderam às provocações, nacionalizando o debate político na diplomação que antecede o novo governo de Bolsonaro. A rivalidade de posições políticas no evento antecipou o que deve ocorrer na próxima legislatura, não apenas em âmbito local, como na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará e nas Casas do Congresso Nacional.
Conciliação
Apesar do clima, o senador eleito Cid Gomes adotou tom mais ameno em entrevista antes do início da diplomação. Ele afirmou que mesmo que não tenha votado no presidente eleito, deve-se dar voto de confiança ao novo governo e não agir com preconceito em relação ao novo ocupante do Palácio do Planalto. “A gente tem que ter moderação. O papel do Senado vai ser muito importante. Acho que a gente vai ter dias complexos e anos complexos”, prevê.
O tom de moderação também foi adotado por nomes que endossaram Bolsonaro na disputa de outubro. “Temos que fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que esse governo dê certo, para que o País volte aos trilhos, mas com independência”, declarou o futuro colega de Cid na Câmara Alta, Eduardo Girão (PROS), que apoiou Bolsonaro no segundo turno. De acordo com ele, a partir do momento que os projetos do governo expressem ideias que vão de encontro às que ele apresentou durante a campanha, “faremos o contraponto”.
A cerimônia diplomou 46 deputados estaduais, 22 deputados federais e dois senadores, além do governador Camilo Santana (PT) e da vice-governadora Izolda Cela (PDT). O prefeito Roberto Cláudio (PDT), além de lideranças do Poder Legislativo, das Forças Armadas e do Judiciário, estiveram na mesa do evento.
Balanço
A diplomação dos eleitos encerrou, formalmente, o período eleitoral. Pelo menos, assim o foi para a Justiça Eleitoral, o que levou a uma maratona de análises de prestação de contas ao longo da semana para assegurar o ato de ontem. “Nesse momento, estamos felizes porque entregamos, de fato, um trabalho de excelência à sociedade”, declara a desembargadora Maria Nailde Pinheiro, presidente do TRE-CE. Segundo a magistrada, foi uma campanha “acirrada” a de 2018, mas houve “participação da população”.
Um ponto que ela destacou foi os questionamentos à urna eletrônica, que foi alvo de suspeitas inclusive pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), em relação à sua segurança. A magistrada tenta ver o lado cheio do copo. “Foi uma oportunidade que a Justiça Eleitoral teve de demonstrar ao eleitor como uma urna eletrônica funciona”, diz. Ela destaca que até esta eleição, não teria havido um questionamento sistemático do voto eletrônico, mas que a o Judiciário teria conseguido convencer o eleitorado da segurança dos equipamento. “Acredito que, com o resultado das eleições, a Justiça Eleitoral sai fortalecida”, aposta a desembargadora.
E, de acordo com a magistrada, todos os órgãos ligados às eleições já começam a planejar o pleito de 2020. “Como a nossa principal atividade é programar, preparar e, principalmente, presidir eleições, já estamos iniciando os preparativos”, explica. Uma das metas até lá é concluir a biometria de todo o eleitorado do Estado, o que passa por fazê-la em Fortaleza. Atualmente, quase 80% dos eleitores do Estado já são cadastrados no sistema.
Camilo anuncia conselho de notáveis
O governador reeleito Camilo Santana (PT) anunciou ontem a criação de um "conselho de notáveis" para aconselhar sua administração ao longo do próximo quadriênio. "O conselho vai reunir pessoas da sociedade, da área acadêmica, do setor produtivo, para que a gente possa colaborar com as ideias do estado. A gente pode colaborar de diversas formas, o importante é que todos possam estar unidos em defesa do Estado", declarou. O anúncio foi feito ontem, antes da diplomação dos eleitos em outubro.
Fonte DN

Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

Rádio Patativa FM 105,9

Curta Nossa Página no Facebook

VMC CAR

Max Gel

Afagu

Ópcas Afagu

Burger KING

Samuel Rulin

Metal Serra Construtora

Odonto Clinica

Karirí da Sorte Cap

Casa dos Aposentados

Madral Madeira e Material de Construções

Laboratório Oswaldo Cruz

Dr. Wagner Maia Crm-Ce

Loja Barateira

Rejuntamix 100% de Qualidade

Seguro Previdência Créditos

Caixa Aqui Data Contábel

LPC NET

Total de visualizações do Site

Arquivos do Site