Clique na Imagem e Ouça a Patativa FM 105,9 Ao Vivo

Pages

sábado, 25 de maio de 2019

Estradas precárias aumentam custos no Ceará


Os problemas nas estradas federais e estaduais cearenses não devem ser solucionados neste ano. No caso federal, há liberação insuficiente de recursos. A Superintendência Regional do Departamento Nacional de Rodovias (Dnit) no Estado tem aporte de R$ 50 milhões em manutenção e recuperação. O ideal seria R$ 150 milhões. A precariedade das vias impacta na logística dos produtos e aumenta os custos de produção no Ceará.
O presidente da Associação Empresarial de Indústrias (Aedi), Mozart Martins revela que o Anel Viário emperra os deslocamentos das cargas que saem do Distrito Industrial de Maracanaú e diz que os transtornos causados na região são "crônicos".
"A situação é delicada, pois cada um (Governo e Dnit) promete uma solução. Dos 32 km de obras, 14 km são em Maracanaú e o que se percebe é que em na cidade a coisa emperra. O Governo fala em 100 indenizações que precisam ser feitas", conta.
Além da indústria, as Centrais de Abastecimento de Ceará (Ceasa) também são prejudicadas. O analista de mercado da Ceasa, Odálio Girão, diz que os produtores encontram dificuldades de locomoção por causa das obras inacabadas.
Responsável pelo Anel Viário, a Superintendência de Obras Públicas (SOP) do Estado, reiterou que a previsão de entrega é para o fim do ano. O Dnit deve liberar recursos após análise do projeto do Estado. A demora é, para o presidente da Câmara Temática de Logística do Ceará, Heitor Studart, "o maior gargalo logístico do Ceará, que faz com que o Estado perca em competitividade".
O secretário do Desenvolvimento Econômico de Maracanaú, Antônio Filho, diz que os problemas podem fazer com que empresários "não tenham interesse de implantar negócios no Ceará" e que, no município, mais de 120 empresas dependem da conclusão do Anel Viário e duplicação da BR-222 até o Porto do Pecém.
Sobre a duplicação, a superintendente do Dnit no Ceará, Liris Campelo, revela que são precisos R$ 167 milhões para conclusão, porém pouco mais de 2% foram liberados.
Ela, que assumiu o cargo no ano passado, definiu como metas a entrega de viadutos em Horizonte, Tianguá e Umirim.
Sobre a liberação de apenas um terço do recurso necessário para manutenção e recuperação das estradas, diz que a bancada cearense no Congresso está ciente do problema, bem como o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas.
Fonte: O povo
Share:

0 comentários:

Postar um comentário

Redes Sociais

. Twitter Google Plus Email Twitter Facebook Instagram email Email

Gonverno do Estado

Clique acima e confira ou se preferir clique AQUI

Tv Patativa do Assaré

Mob Telecom

Mob Telecom O dom de conectar: 0800-020-9000

Curta Nossa Página no Facebook

Distribuidora Roque

Nova Assaré Loteamento

Farmácia Menor Preço

Ledi Festas

Vivo em qualquer lugar use vivo

Inove Eventos

Produtos Nativus

Afagu

Ópcas Afagu

Burger KING

Samuel Rulin

Odonto Clinica

Karirí da Sorte Cap

Loja Barateira

Rejuntamix 100% de Qualidade

Seguro Previdência Créditos

Caixa Aqui Data Contábel

LPC NET

Total de visualizações do Site